8 dicas para escrever um romance

Por Tiago Haubert

08/06/2020

8 dicas para escrever um romance

Hoje vou trazer algumas dicas para escrever um bom livro. Dicas que busquei em leituras, sejam em livros, blogs especializados ou de autores renomados.

No final, acrescentei duas dicas Bônus que podem ser bem úteis e refletirem muitos de seus sentimentos enquanto escrevem, ou não.

Diga não aos parágrafos pomposos sem propósito
Todo parágrafo que você escrever deve ter alguma finalidade na história. Sei que escrever bem e bonito é essencial, mas gastar essa habilidade em parágrafos gigantes apenas para dizer que uma pessoa tossiu, ou divagar meia página sobre a cor do pelo do cachorro da vizinha sem que isso acrescente nada para o desenvolvimento do romance é “encher linguiça”. No mundo globalizado e dinâmico de hoje onde os leitores leem livros em dois dias loucos para começar outro, isso acaba sendo visto como um ponto negativo.

Tenha algo a dizer
Não escreva apenas por escrever. Independente do assunto do seu livro. Tenha um “moral”. Tenha  alguma mensagem ou um recado a passar, mesmo que óbvio ou simples.

Crie suas metas e planeje
Não espere o momento de inspiração. Faça um esboço do inicio, meio e fim do livro para você ter uma linha de raciocínio e coloque a bunda cadeira e escreva, escreva e escreva. As situações que lhe levarão a desistir são inúmeras, então crie suas metas e as siga. Lembre-se de criar metas compatíveis com seu dia a dia. Não adianta colocar a meta de escrever 10 páginas por dia sabendo que você tem duas horas para isso. Provavelmente você fará às pressas e a obra ficará ruim. Sem metas, a probabilidade que seu livro fique inacabado é grande.

Mostre, não conte
Há sempre duas maneiras de escrever sua história. Contando ou mostrando. Há momentos que o “contar” é essencial, mas via de regra, mostre ao leitor. O ideal é mesclar as duas situações dando ênfase no “mostrar”.

Ex. Contar: Eu estava cansado.

Ex. Mostrar: Ofegante, apoiei-me nos joelhos.

Mantenha uma lógica
O leitor de ficção espera ser enganado. Espera viajar no livro. A maioria das pessoas sabem que o protagonista não vai morrer, mas ainda sim continuam lendo. É o “como” que faz com que as pessoas continuem lendo seu livro. Apesar de o leitor esperar ser enganado, a história deve manter uma lógica, seja com os personagens ou com seu desenvolvimento. Leitores são exigentes e inteligentes, e a principal causa de incômodo são as famosas incongruências no texto como um personagem frio que se emociona facilmente em determinada cena do livro. Se ele é frio, essa característica deve ser mantida, a não ser que crie algo que o modifique. Não pode descrever o céu claro e na mesma cena colocar o céu estrelado de uma lua que mais parecia uma lâmpada. Dentro de um livro, há inúmeras cenas e descrições e para você se perder é muito fácil.

Corrija
Leia, releia e leia mais uma vez. As correções são fundamentais. A maioria dos textos possuem erros básicos de concordância ou gramaticais. Isso é um ponto que irrita os leitores. Não esqueça que seu trabalho é a palavra. Erros podem aparecer, até porque ninguém é perfeito, mas você acha que seu público continuará a ler um livro onde  logo nas primeiras páginas aparecem falhas graves de português. A técnica deve passar despercebida para o leitor manter o foco na história. Vale lembrar que isso também conta para o editor. Pesquisei e uma das coisas que mais os irritam ao receberem um original é a quantidade de erros. Isso tira a sua credibilidade como autor. Imagine você lendo uma redação onde encontra palavras como “gazolina” repetidas vezes… Lembre-se: São as correções que transformam a pedra bruta em preciosa. Mas coloque um limite às correções, senão você entrará num círculo vicioso de perfeccionismo e nunca concluirá a obra.

Leve seu texto para alguém criticá-lo
Quando escrevemos, tudo parece bem claro, mas é fundamental repassar o rascunho final a um terceiro de confiança para ler e ver se entendeu tudo que você tentou passar na história. Isso pode valer também como um importante “feedback” da história. Isso faz muita diferença!

Acredite
O mais importante de tudo. Acredite em você e crie sua metodologia! Steve Jobs não criou a Apple fazendo o que todos faziam.

BÔNUS: NA PRIMEIRA ESCRITA FOQUE NA IMAGINAÇÃO

Muitas vezes nos deparamos com a seguinte situação: Estamos escrevendo a primeira versão da história e acabamos nos frustrando ou desanimando no meio do caminho por ela não estar como imaginávamos.

Nessa hora, a dica que dou é para não se preocupar com a forma. Se você seguiu os passos acima e acredita na sua ideia, na primeira versão, foque apenas em escrever. Em elaborar a ideia e transcrevê-la para o papel. Assim você FOCA TODA A SUA ENERGIA NA IMAGINAÇÃO e não perde tempo com a forma. Deixe para aparar as arestas depois. São nas correções que você irá transformar a pedra bruta em lapidada. Então, muitas vezes, quando você estiver desanimado com a sua história da primeira versão, lembre: É SÓ A PRIMEIRA VERSÃO.

Para você que está na primeira versão do primeiro livro verá que são nas correções que o trabalho começa a ficar interessante. Agora, para você que já passou por isso, sabe o que estou falando.

BÔNUS 2: TERMINE O QUE COMEÇOU

Lembre que não adianta seguir todos os passos, nas abandonar o projeto pela metade. Então termine o que que começou. Somente assim o sonho podera sair da ideia e transformar-se em algo palpável.

Tiago Haubert

Tiago Haubert

Literatura